Notícias

Corpo do menino Ítalo é encontrado no Rio Negrinho

A busca por Ítalo Gonçalves, de 5 anos, em Rio Negrinho, no planalto norte de Santa Catarina, terminou de forma trágica. O garoto havia desaparecido no começo da tarde do dia 29 de maio.

Na manhã desta terça-feira, enquanto as equipes planejavam as buscas para um novo dia, os bombeiros foram avisados ​​de que um corpo com características de uma criança foi localizado em uma curva que havia no rio, segundo o Corpo de Bombeiros Militar.

Aliás, o rio foi o foco dos bombeiros durante vários dias de busca, pois evidências sugerem que o menino pode ter caído na água. A polícia científica foi chamada e agora realiza o trabalho que deve confirmar se o corpo é mesmo do pequeno Ítalo. Ela continuará investigando todo o caso.

“Infelizmente, não é a forma que gostaríamos de encontrá-lo. Desejamos nossos profundos sentimentos aos familiares e amigos nesse momento de tristeza”, disse o tenente João Ricardo Prochmann.

Polícia, bombeiros e vizinhos procuravam o menino em terra e na água desde 29 de maio, dia em que a criança foi vista pela última vez. “Ele está fazendo falta, ninguém está conseguindo dormir”, comentou a vizinha Isolde Machado durante as ações de buscas.

O menino morava com a mãe e uma tia em uma rua localizada nas regiões de nome Centro e Alegre. Em suas últimas aparições visuais, gravado em câmeras de vigilância, o menino Ítalo brincava alegremente com sua cachorra de estimação pelo vizinhança.

As buscas foram incessantes

A mãe do menino, Ítalo, disse ao Corpo de Bombeiros Militar que os dois almoçaram por volta das 11h, e logo após percebeu que a criança não estava mais no local. As buscas foram realizadas em toda a área próxima à residência, entre as comunidades Centro e Alegre, bem como nas matas próximas à margem do rio e na rua onde a família mora.

Segundo os bombeiros, o único sinal pelo qual a criança passou foi a localização de um par de chinelos, que a mãe identificou como sendo de Ítalo. Os chinelos estão localizados à beira do rio, perto do terreno.

Com o apoio de mergulhadores, a equipe realizou uma busca em terra e na água. Cachorros militares e policiais também ajudaram nas buscas incessantemente, mas a chuva e a multidão dificultaram o trabalho dos cães. Toda comunidade ficou preocupada e atentada após o sinal de alerta de uma criança desaparecida.