Saúde

Cuidados importantes para acabar com o mau cheiro na região íntima feminina

Você sabia que os produtos de higiene íntima mascaram até os odores desagradáveis ​​da região genital e previnem infecções? Mas eles não precisam ser usados ​​todos os dias e se usado, não deve ser passado mais de uma vez no dia. Uma lavagem é suficiente, segundo ginecologistas.

Vaginal cheira mal?

Se isso já aconteceu com você ou está acontecendo, é preciso procurar ajuda. A vagina é naturalmente um órgão úmido, sua anatomia interna (ao contrário do pênis, que é um órgão externo) fornece essa umidade, além disso, a vagina abriga microrganismos que compõem sua composição.

No entanto, os micróbios devem ficar quietos ali, como se estivessem “dormindo”. Dessa forma, tudo fica normal, com o cheiro típico de órgão. A vagina tem seu próprio cheiro natural que faz parte da natureza feminina. O cheiro pode agradar muitos, alguns dizem que serve como feromônio (hormônio que estimula a atração sexual).

Quando o cheiro não é normal?

Quando os microrganismos “acordam” e começam a alterar a flora vaginal, causando coceira e corrimento, também pode surgir um odor desagradável. Um cheiro desagradável indica que algo não é saudável. Ao chegar no consultório para tomar uma medida preventiva, é possível sentir através de exames, o odor que chamamos de “cheiro fétido”, semelhante ao cheiro de pés ou de um peixe morto.

Não podemos dizer qual é o cheiro da vagina, cada pessoa tem seu cheiro, nossos hábitos, a comida que comemos, o sabonete que usamos para lavar a roupa íntima, tudo influencia. Mas você pode aprender a reconhecer seu cheiro normal em seu corpo.

Coloque os dedos na vagina e cheire. As mulheres foram ensinadas a não colocar as mãos na vagina, mas é saudável abrir mão desse tabu para conhecer o próprio corpo.

Desde o momento em que você reconhece o seu “cheiro normal” até o dia em que recebe uma mudança, você saberá como reconhecê-lo.

Cuidados com a saúde vaginal

Área vaginal ventilada, roupas leves e de algodão de preferência, evitar absorvente diário, dormir sem calcinha, não utilizar perfume na área íntima, evitar comer muito doce para não acontecer mudanças na flora vaginal, evitar alterações emocionais que também pode causar desequilíbrio na flora.