Notícias

Homem de 27 anos morre tragicamente após tiro acidental feito por cunhado de 8 anos

Um homem de 27 anos foi morto por um tiro acidental disparado pelo cunhado, que tem cerca de 8 anos, na tarde desta segunda-feira (8) em Jacareí (SP).

De acordo com a Polícia Militar, o homem foi de carro buscar a criança e seu filho de 5 anos na escola e sua arma estava no banco de trás. As crianças entraram no veículo e o menino acabou atirando acidentalmente.

Ele tinha carteira de colecionador, atirador e/ou caçador, os chamados CACs, e o revólver estava com a documentação em dia. Inicialmente, a polícia havia informado que a criança era sobrinho da vítima, mas depois corrigiu a informação.

A Polícia Militar foi acionada e às 20h10 o local foi isolado para o trabalho de perícia.

Armas geram tragédias no ambiente doméstico

De acordo com o levantamento do Instituto Sou da Paz, em 2019, foram 320 casos de vítimas desse tipo de descuido. Em 2020, foram registrados 265. Embora chame a atenção, o número é considerado baixo em comparação a outros crimes, como laticínios e agressões.

Um dos beneficiados pela política de afrouxamento das regras de posse e porte de armas do Governo Bolsonaro é o pastor e ex-ministro da Educação, Milton Ribeiro, que disparou acidentalmente uma arma no Aeroporto de Brasília.

Número de armas sob cuidado de civis dobrou

O Brasil dobrou o número de armas nas mãos de civis em apenas três anos, de acordo com dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública. Em 2017, segundo a Polícia Federal, o Sistema Nacional de Armas (Sinarm) contabilizava 637.972 registros de armas ativos. Ao final de 2020, o número subiu para 1.279.491 – um aumento de mais de 100%.

O crescimento no número de registros ocorreu no Brasil como um todo, mas em algumas unidades da federação o aumento foi muito maior que a média nacional. Onze unidades tiveram aumento superior aos 100% desde 2017, como o Distrito Federal, que saltou de 35.693 registros para 236.296 em 2020, um aumento de 562%.