TV & Famosos

Irmão de Rodrigo Mussi revela que sua mãe desejou que ele morresse

Irmão do ex-BBB Rodrigo Mussi, Diogo Mussi revelou que sua mãe, com quem já havia afirmado ter um relacionamento difícil, desejava sua morte. Em seu Instagram Stories, ele desabafou sobre as polêmicas com ela.

Por meio de uma caixa de perguntas no Instagram, um fã perguntou quando o menino decidiu se afastar da mãe.

“No momento em que descobri o que era amor próprio. Coincidência ou não, foi no mesmo disse em que ela me disse: ‘Quero você morto ou debaixo de uma ponte'”, disse.

Anteriormente, Diogo já havia contado que sua mãe, acusada de abandonar os três filhos ainda pequenos, fez uma visita ao ex-BBB22 quando ele foi internado após sofrer um grave acidente automobilístico em São Paulo.

“Por que o Rodrigo foi expulso de casa da mãe? E depois vocês?”, perguntou um internauta. “Entendo que houve abandono da maternidade e acabamos sendo um fardo para ela. O narcísico não é capaz de olhar para ninguém além de si mesmo”, começou, explicando.

Acusada de abandono, mãe de Rodrigo Mussi visitou filho no hospital

O irmão de Rodrigo Mussi abriu uma caixa de perguntas em seu Instagram para conversar com seus seguidores. Durante a pergunta de um seguidor, Diogo Mussi revelou que a mãe da família, que abandonou os três filhos ainda pequenos, fez uma visita ao ex-BBB22.

“Por que o Rodrigo foi expulso de casa da mãe? E depois vocês?”, perguntou um internauta. “Entendo que houve abandono da maternidade e acabamos sendo um fardo para ela. O narcísico não é capaz de olhar para ninguém além de si mesmo”, ele começou explicando.

“Ela apareceu no hospital na sexta-feira à noite. O Rod deu entrada no HC na madrugada de quarta-feira para quinta-feira. Foi visitá-lo algumas vezes. Complicado. Comigo, pelo menos, não há a menor chance de relação”, contou Diogo Mussi.

O irmão de Rodrigo também explicou um pouco mais sobre sua infância. “Eu não me dava muito bem com ele, pois não aceitava a mulher dele. Acabei me mudando bastante, morei com amigo, com minha avó. No fim, nosso pai faleceu e deixou tudo o que tinha para a mulher. Depois de oito anos, consegui vender na Justiça e trazer para mim e meus irmãos os nossos direitos”, disse Diogo.