Notícias

Mãe sente fedor vindo da filha e descoberta de doença deixa médico chocado

Uma inglesa de 30 anos teve o maior choque quando descobriu o motivo do mau cheiro que sentia vindo de sua filha de 1 ano. Segundo o ‘The Sun’, a mãe Katerina Getsevich notou que a filha estava com o nariz escorrendo e que, mesmo depois de sair do banho, a pequena ainda estava com mau cheiro horrível no corpo.

9k=
Imagem: Reprodução

Ao levar a criança ao médico, descobriu-se que havia um pedaço de esponja podre preso no nariz da menina. Segundo o jornal, a mãe imagina que o objeto veio de um brinquedo. Para servir de alerta, Katerina resolveu divulgar a história para que os pais entendam que todo cuidado é pouco em relação aos filhos.

Você poderá sentir quando alguém está doente pelo cheiro

Ficar doente e não sentir o cheiro de nada é normal, principalmente porque o resfriado tem como consequência o congestionamento nasal. O próprio odor corporal parece de alguma forma diferente, amargo e desconhecido, segundo pesquisas.

Longe de ser a primeira pessoa a notar esse efeito colateral desagradável, os cientistas descobriram que dezenas de doenças têm um cheiro particular: diabetes pode fazer sua urina cheirar a maçãs podres, e a febre tifóide faz com que o odor corporal tenha cheiro de pão assado. A febre amarela aparentemente faz sua pele cheirar a um açougue.

É curioso, mas alguns cientistas pensam que, se pudéssemos identificar cheiros específicos em pacientes, poderíamos identificar doenças que seriam difíceis de detectar precocemente, como câncer ou danos cerebrais.

Recentemente, uma mulher escocesa que ficou famosa por sua capacidade de dizer se alguém tem a doença de Parkinson cheirou suas camisetas.

“Sinais de doença são algumas das coisas que as pessoas acham mais nojentas”, diz Valerie Curtis, pesquisadora de saúde pública da Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres.

“Pense muco, vômito ou pus. A repugnância é a nossa maneira de evitar coisas que podem nos prejudicar, então “simplesmente faz um bom senso evolutivo que usemos os nossos narizes para notar a doença”.