Notícias

Na comemoração do Dia dos Pais um homem vira suspeito de matar o filho

Um homem de 56 anos é suspeito de matar o filho de 25 anos no bairro Engenho Nogueira, na Região da Pampulha, em Belo Horizonte, neste domingo (14), data em que foi comemorado o Dia dos Pais.

De acordo com o boletim de ocorrência da Polícia Militar, os militares foram chamados à casa da família e abordados na rua por uma mulher informando que Luiz Fernando Avelar era muito agressivo e estava sendo contido pelo pai dentro da propriedade.

No local, a polícia encontrou o suspeito apertando o pescoço do filho com as mãos. Quando liberado, o jovem já estava inconsciente e com o rosto roxo. Os militares fizeram massagem cardíaca em Luiz e ligaram para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas ele não resistiu.

O pai disse à polícia que o filho exigia dinheiro da avó para comprar drogas. Ao repreender Luiz, o jovem começou a socar o pai e a ameaçar a idosa. Os dois começaram a brigar e caíram no chão, momento em que o suspeito começou a conter o jovem.

“Às vezes, a avó comentava que tinha problemas com ele (Luiz), mas não pensava que chegaria a esse ponto. A avó sempre amou muito ele. A gente fica triste pelo pai e por ele também. São pessoas muito boas”, disse uma vizinha, sob anonimato.

Luiz, segundo o pai, já havia agredido outros parentes em datas anteriores, inclusive a mãe. Em consulta com o sistema, a polícia confirmou que o jovem tinha um histórico agressivo. O corpo do jovem foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML).

O que a polícia diz

“Assim que acionada, a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) deslocou equipe da perícia oficial para realizar os trabalhos periciais, e esclarece que o homem, de 56 anos, foi ouvido por meio da Central do Plantão Digital”, iniciou eles.

“Segundo levantamentos, a vítima, de 25 anos, era usuário de drogas, e no momento do fato, estaria ameaçando a avó pedindo dinheiro para comprar drogas, quando o pai interveio e foi atacado, tendo que conter o filho. Além de registros anteriores demonstrando comportamento agressivo, o jovem também tinha contra ele medida protetiva requerida pela mãe”, revelou.

“A autoridade policial, responsável pela oitiva do suspeito, entendeu que ele agiu em legítima defesa e o homem segue sendo investigado. A PCMG informa que prosseguem os trabalhos investigativos, incluindo a oitiva de testemunhas, apurando se houve excesso por parte do suspeito. Ele foi liberado”, concluiu.