Notícias

PF confirma corpos de Dom Phillips e Bruno Pereira e detalhes chocam a todos

A Polícia Federal (PF) confirmou em entrevista coletiva nesta quarta-feira, 15h, que encontrou dois corpos no local da busca do jornalista britânico Dom Phillips e do nativo Bruno Pereira. As vítimas desapareceram no domingo, 5, na região do Vale do Javari, na região Amazônica.

Mais cedo, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, já havia anunciado em seu perfil no Twitter que foram encontrados “restos humanos”. “Existem grandes chances de que os remanescentes humanos sejam deles”, disse o superintendente regional da PF, Alexandre Eduardo Fontes.

Ainda, segundo Fontes, Amarildo da Costa Oliveira, conhecido como Pelado, se declarou culpado de participação no assassinato das vítimas. “Ontem a noite nós conseguimos que o primeiro preso neste caso, conhecido por Pelado, voluntariamente resolveu confessar a pratica criminosa. Durante a confissão ele narra com detalhes o crime realizado e aponta o local onde havia enterrado os corpos”, disse.

Pelado teria dito que tanto o nativo quanto o jornalista foram baleados, queimados e enterrados. Um segundo suspeito, Oseney da Costa de Oliveira, irmão de Pelado e conhecido como Dos Santos, também foi preso por envolvimento no crime.

Na manhã desta quarta-feira, a PF levou Pelado e Oseney ao local onde os corpos seriam enterrados, próximo ao Rio Itaquaí. Ambos admitiram que Bruno e Dom foram mortos durante uma viagem de barco para a comunidade de São Rafael.

De acordo com o superintendente regional da PF, ainda estão em andamento escavações no local a 3,1 quilômetros do rio onde foram encontrados os pertences de Phillips e Pereira. Um barco usado pelas vítimas também foi localizado. O barco estava afundado em sacos de areia. “Um local de difícil acesso. Encontramos tanto os corpos e a embarcação, que estava afundada”, concluiu. A Polícia Federal reconstruiu o crime e vai continuar a investigação.

Na coletiva de imprensa, as autoridades também anunciaram que poderia haver novas prisões a qualquer momento. Pelado e Oseney estão presos por ordem judicial. A prisão preventiva do segundo foi anunciada na tarde de quarta-feira a mando da juíza Jacinta Silva dos Santos, proprietária do distrito de Atalaia do Norte, no interior do Amazonas.

O prazo de 30 dias de prisão preventiva, com possibilidade de prorrogação por mais 30 dias, começa a valer a partir da data do cumprimento do mandado de prisão expedido pelo comarca. Oseney foi preso pela Polícia Federal (PF) na noite desta terça-feira, 14. Com ele, segundo a PF, foram encontrados cartuchos de arma de fogo e um remo.