Notícias

Suspeitos de matar ganhador da Mega-Sena são presos; vizinhos se comovem com a perda: ‘Pessoa simples’

Justiça decretou a prisão de quatro pessoas investigadas pela polícia, e duas seguem foragidas.

As investigações conduzidas até o domingo (18) apontaram três homens e uma mulher como envolvidos na morte de Jonas Lucas Alves Dias, de 55 anos, ganhador de R$ 47,1 milhões na Mega-Sena em 2020. Dois foram presos e os outros seguem foragidos.

Rogério de Almeida Spínola (48 anos) e Rebeca (24 anos) se encontram presos. Marcos Vinicyus Sales de Oliveira (22 anos) e Roberto Jeferson da Silva, o Gordo, (38 anos), continuam foragidos.

rogerio spinola

Rogério Spínola, de 48 anos, foi o primeiro suspeito a ir preso durante a investigação. Segundo a delegada da Deic Piracicaba, Juliana Ricci, ele tem uma série de passagens pela polícia por crimes como roubo, furto, homicídio, estelionato e lesão corporal.

Spínola já cumpriu 15 anos de prisão e deixou a penitenciária em dezembro do ano passado. A prisão de Spínola ocorreu em Santa Bárbara d’Oeste e, segundo a polícia, ele nega participação no crime.

A delegada não detalhou a participação dele no esquema, mas informou que Spínola era parceiro de outra pessoa investigada. “Nesse momento nós temos um rol de provas que permitiu que o judiciário decretasse a prisão dele, mas alguns detalhes eu não posso divulgar porque mantenho a investigação”, disse Juliana, durante coletiva de imprensa no sábado.

rebeca rodrigo pereira

A Guarda Municipal de Santa Bárbara d’Oeste informou também que Rebeca foi presa na manhã de domingo no bairro Mollon e depois foi encaminhada para a Deic de Piracicaba (SP), delegacia que concentra as investigações do caso. Segundo Polícia Civil, foi para uma conta no nome dela que os suspeitos transferiram parte do dinheiro da vítima.

A subinspetora da Guarda Civil Municipal, Érika Traldi afirmou que a mulher alegou ter sido “abordada” por dois homens, que a levaram até um banco e pediram para que abrisse uma conta. Rebeca passou dois apelidos dos homens e disse não saber seus nomes. Após depoimento, o companheiro da mulher também foi levado para delegacia, onde foi ouvido e liberado.

Existem ainda a informação de que outra parte dos recursos da vítima foi transferida pra um CNPJ, mas a polícia afirma não poder dar detalhes porque as investigações estão em andamento.

whatsapp image 2022 09 17 at 17.21.19

O diretor Departamento de Polícia Judiciária do Interior 9 (Deinter 9), Kleber Altale, informou que Marcos Vinicyus, suspeito que está foragido, dirigia um dos dois veículos usados no crime, uma caminhonete S-10.

A vítima foi abordada assim que deixava uma padaria. Ele foi abordado e obrigado a entrar na caminhonete. Os criminosos usaram violência ”extrema”, segundo a polícia, para que ele informasse seus dados bancários.

A delegada Juliana Ricci afirma que foi Marcos Vinicyus o responsável pelos dois saques de R$ 1 mil e pela transferência no valor de R$ 18,6 mil da conta de Jonas Lucas. O criminoso foi flagrado por câmeras de segurança em uma agência da Caixa Econômica de Campinas, onde realizou as transações suspeitas.

Segundo Juliana, o homem utilizou um aplicativo de celular para movimentar o dinheiro. O suspeito tem passagens por estelionato, receptação e deixou o sistema penitenciário em setembro de 2021.

O outro suspeito dirigia um Ford Fiesta preto também usado para abordar o milionário morto. O homem não possui passagens pela polícia e segue foragido.

Jonas foi raptado depois de sair para caminhar na terça

A vítima foi socorrida e apresentava sinais de espancamento. Ele foi levado ao hospital, mas não sobreviveu. Segundo a investigação, tudo indica que o grupo tinha conhecimento da situação financeira de Jonas Lucas, mas ele não os conhecia.

O valor do prêmio motivou o crime feito contra o homem. Segundo a delegada Juliana Ricci, uma tentativa de saque de R$ 3 milhões foi feita via aplicativo de mensagens. Ele foi abandonado às margens do km 104 da Rodovia dos Bandeirantes (SP-348), em Hortolândia (SP), próximo da alça de acesso da SP-101.

A advogada da família relatou à polícia que a vítima havia levado apenas carteira e documentos para a caminhada. Ao final do dia, como não foi mais possível contatá-lo, familiares registraram ocorrência de desaparecimento na delegacia eletrônica.

Homem ‘simples’

Vizinho do ganhador da Mega-Sena, contou que muita gente não acreditava que Jonas tinha ganhado a bolada em razão de como ele levava uma vida simples. “Era igual a gente, pessoa simples, que andava de chinelo, tranquilo, sempre passava aqui, sempre atencioso com a gente”, disse.

Quem conhecia Jonas Lucas há décadas garante que ele não mudou nada com o prêmio milionário recebido. “Eu fui muito comprar com ele quando trabalhava no depósito. [Após o prêmio] era a mesma pessoa, não mudou nada, continuou como se nada tivesse acontecido”, lembra Luiz.